História e Cultura Afrobrasileira

O II Curso Negro KILOMBAGEM, objetiva capacitar professores, educadores, estudantes, pesquisadores, gestores, ativistas, e interessados em geral, para abordagem dos conteúdos propostos pela lei 10.639/03 (atual 11.645/08), que institui a obrigatoriedade da temática de História e Cultura Afro-Brasileira na rede de ensino.

Ementa

As diretrizes curriculares para a implementação da Lei 10.639/03, história geral da África e do negro no Brasil; a contribuição dos africanos para o desenvolvimento humano universal; Racismo, colonialismo e neo-colonialismo; As lutas negras no continente africano e diáspora; cultura negra e resistência social.

Objetivos específicos

- Apresentar estratégias de implementação para a lei 10.639/03 (atual 11.645/08);
- Ampliar conhecimento sobre os conceitos de Raça, Racismo, Preconceito e Cultura Afro-brasileira;
- Discutir as contribuições africanas para o desenvolvimento humano universal;
- Apresentar e discutir os elementos pedagógicos da cultura negra como expressão de resistência social.

Arte: Qual é o seu espaço na vida?

Qual a necessidade da arte na vida das pessoas? Quais os critérios de consideração de uma grande arte? Qual a função da arte dentro do modo de produção capitalista?

Para buscar responder a estas e outras questões, surge o grupo de Artes do Grupo KILOMBAGEM. Composto por trabalhadores de distintos seguimentos, inseridos em manifestações artísticas, a proposta é de que os estudos referentes à arte em geral, auxilie os participantes a terem como norte a produção de grandes obras, dentro dos campos artísticos em que estão inseridos: o rap (e a música em geral), graffiti, teatro, artes plásticas, visuais e poesia. Analisamos que a produção artística atual – na maioria das manifestações – está muito vazia e empobrecedora, descumprindo o caráter histórico educativo, que seria próprio da arte, ajudando os indivíduos a se auto-conhecerem e conhecerem melhor o mundo em que vivemos.

PRINCIPAIS AÇÕES:

  1. Estudos referentes à arte em geral.
  2. Estudos referentes às formas e conteúdos específicos das manifestações artísticas em que estamos inseridos.
  3. Divulgação teórica.
  4. Produção de obras e de atividades artísticas.

Inseridos em mobilizações sociais, o grupo de pesquisa visa influenciar no campo artístico, entendendo-o como uma das formas de apreensão da realidade, e que dessa maneira podemos interferir criticamente na vida dentro das possibilidades atuais, com a perspectiva de uma cultura humana emancipada das amarras do capital.

Objetivo:

Inicialmente a proposta era que fosse um grupo apenas de “artistas”, e que os estudos nos ajudassem a entender e fazer melhor o que já produzimos nos nossos campos específicos, ao entender melhor o campo da arte em geral. As artes produzidas pelos participantes seriam em si a divulgação dos grupos de estudo. Porém, com a proposta atual, o grupo está aberto para quem quiser entender qual é o espaço da arte na vida, por meio das suas técnicas e conteúdos, sejam esses produtores de arte, simpatizantes ou artistas “em potencial”. E como divulgação, passa-se a ter a necessidade de produção de textos sobre os assuntos abordados. Metodologia: Leitura momentânea, em que cada participante lê um parágrafo e o grupo extrai as ideias principais de cada parágrafo, no ato da leitura, contextualizando com o nosso período histórico.

Ike Banto

Ike Banto, mora em Campinas, interior de São Paulo, atua no Fórum de Hip Hop do Interior, autodidáta é entusiasta e usuário fervoroso de Software Livre, trampa na área de tecnologia a 05 anos, como designer, diagramador e web-designers freelance, porém a meta e trabalhar com animação 2d e 3d (eu chego la!!! :) ), no Kilombagem que participa desde de 2009 cuida da infra em Web do grupo.

You may also like...