Nonagésimo aniversário de Fanon – AS IDEIAS DE FRANTZ FANON NO BRASIL

CURSO KILOMBAGEM – FANON VIDA E OBRA

Os textos de hoje apresentam o debate a respeito da recepção de Fanon no Brasil. Está presente em ambos a preocupação em mapear os autores que foram influenciados por Fanon: entre eles, Paulo Freire, Glauber Rocha e os intelectuais formuladores da Quilombhoje, como Márcio Barbosa.

OS CONDENADOS DA TERRA

O primeiro, intitulado A recepção de Fanon no Brasil e a identidade negra, é de Antônio Sérgio Guimarães. O seu objetivo é analisar, a partir de fontes bibliográficas e testemunhos, como se  deu a recepção de Fanon pelo meio intelectual brasileiro, assim como sua influência sobre a formação de identidades negras. Enquanto observo uma recepção morna, argumento que isso se deveu a três fatores: primeiro, a especificidade da esquerda latino-americana nos anos 1960; em segundo, uma constituição racial e nacional totalmente oposta a conflitos raciais; e, em terceiro, o número reduzido nas universidades brasileiras de professores e pesquisadores negros que abordem a formação da identidade negra ou a afirmação de sujeitos racialmente oprimidos.

Acesse o arquivo aqui: A recepção de Fanon no Brasil 

O segundo, intitulado, Frantz Fanon e o ativismo político-cultural negro no Brasil: 1960/1980, é de  Mário Augusto Medeiros da Silva.Em seu artigo, o autor retoma as contribuições do texto anterior (de Guimarães) para em seguida, acrescentar um importante elemento ao debate sobre a recepção de Fanon no Brasil,  a saber: o associativismo negro. Em sua pesquisa, que remonta a formação da Associação Cultural do Negro – ACN, na década de 50, passando pelo surgimento da Quilombhoje, na déçada de 80, o autor sugere que a chave para entender a recepção de Fanon no Brasil está mais no ativismo negro do que na academia.

Acesse o arquivo aqui: Frantz Fanon e o ativismo político-cultural negro no Brasil: 1960/1980

 

REAJA OU SERÁ MORTO, REAJA OU SERÁ MORTA

Deivison Nkosi

Professor e pesquisador. Integrante do Grupo KILOMBAGEM

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>