Resenha do livro What Fanon said, de Lewis Gordon

O que Fanon disse, afinal? Lewis Gordon e a defesa de uma abordagem fanoniana

Por Deivison Mendes Faustino (Deivison Nkosi)  PLURAL, Revista do Programa de Pós‐Graduação em Sociologia da USP, São Paulo, v.22.2, 2015, p.247‐253
Capa do livro What Fanon Said (Gordon, 2015)

Capa do livro What Fanon Said (Gordon, 2015)

O que Fanon disse, afinal?
Essa pergunta norteou a extensa pesquisa do do filósofo jamaicano Lewis R. Gordon. A obra What Fanon Said: a philosophical introduction to his life and thought (“O que Fanon disse: uma introdução filosófica à vida e obra de Fanon”),  oferece grandes contribuições aos estudos sobre a vida e obra de Frantz Fanon. O autor, que também é conhecido pelas publicações Bad Faith and Anti-black Racism (1995), Fanon and the Crisis of European Man: An Essay on Philosophy and the Human Sciences (1995) e por divulgar a obra fanoniana ao redor do mundo, dessa vez, vem a público em 2015, ano que se celebra os 90 anos de Frantz Fanon para apresentar sua reflexão, adquirida ao longo de mais de 20 anos de pesquisa.
Lewis Gordon

A partir de uma filosofia radical, que critica as raízes e os efeitos do racismo global, Lewis Gordon problematiza, de maneira singular, as categorias sujeito, razão, racialização, subalternização, colonialismo, violência, desejo, práxis, etc., abrindo, portanto, um diálogo crítico com as principais vertentes teóricas das ciências sociais contemporâneas e apontando para a possibilidade de um novo humanismo pós-colonial (Nissim-sabat, 2011).

Acesse o resumo na íntegra aqui 

Deivison Nkosi

Professor e pesquisador. Integrante do Grupo KILOMBAGEM

Você pode gostar...

Faça um comentário sobre esse assunto!

%d blogueiros gostam disto: