Seminário: Saúde da População Negra, em Santo André

27outubromobilizac3a7c3a3onacprc3b3sac3badepopulac3a7c3a3onegrgrande

O objetivo dessa atividade é apresentar os desafios, conquistas e perspectivas do Comitê Municipal de Saúde da População Negra  no processo de Implementação da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra na Cidade de Santo André

DIA 22/11/2016 – 08h-13hs

Local: Consórcio Intermunicipal do ABC

Av. Ramiro Coleoni, 05 – Centro – Santo André

Você sabia? 

Iniquidade – “Iniquidades em saúde referem-se a diferenças desnecessárias e evitáveis e que são ao mesmo tempo consideradas injustas e indesejáveis. O termo iniquidade tem, assim, uma dimensão ética e social” (WHITEHEAD, 1992). Este conceito é importante para a compreensão da necessidade das políticas de equidade em saúde, a exemplo da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra, considerando as condições de vulnerabilidades e iniquidades a que estão submetidas esta população.

O racismo afeta a saúde?

Sim, o racismo afeta a saúde. O racismo influencia a ocorrência de problemas de saúde e potencializa seus fatores de risco. O Ministério da Saúde reconhece o racismo, as desigualdades étnico-raciais e o racismo institucional como Determinantes Sociais das Condições de Saúde.
Determinantes Sociais em Saúde (DSS) são os fatores sociais, econômicos, culturais, étnicos/raciais, psicológicos e comportamentais que influenciam a saúde das pessoas.

 

• 3% da população brasileira já se percebeu discriminada nos serviços de saúde. Entre as pessoas negras que referiram discriminação, 68% foram discriminadas no hospital, 26% nos postos de saúde e 6% em outros serviços não especificados. Ainda que isto tenha sido percebido, poucos buscaram denunciar o ato. Entre aqueles que o fizeram, ninguém relatou ter sido informado sobre as providências tomadas pela instituição para reverter o quadro.
Fonte: Pesquisa Nacional sobre Discriminação Racial e Preconceito de Cor no Brasil, 2003. Fundação Perseu Abramo e Instituto Rosa Luxemburgo Stufting.

• 7,2% do total de adolescentes entrevistados que relataram ter sofrido algum tipo de bullying. Destes, o percentual que afirmou ter sofrido bullying pela cor ou raça foi de 6,8% (com intervalo de confiança IC95%: 6,4-7,3). Ainda, sofrer bullying por cor ou raça foi 4 vezes maior em adolescentes que se autodeclaram de cor de pele preta.  (Fonte do texto)

 

Vagas limitadas 

Inscrição: 4438-6151 ou pelo e-mail escoladasaude@santoandre.sp.gov.br

 

NO DIA SEGUINTE, HAVERÁ TAMBÉM A OFICINA COMUNICACAO E SAUDE. 

 

Essa oficina é um projeto do Canal Saúde, da FIOCRUZ, que tem o objetivo de discutir os principios do SUS nos meios de comunicacao, para qualificar as informacoes em saude. No caso da oficina que será realizada em Santo Andre, também será discutido o princípio da equidade pra falar sobre como inserir os temas de racismo institucional e saúde da População negra nos meios de comunicação.

Data: 23/11 – das 8:00 as18:00.

Local: Escola da Saúde – Pça do Carmo, 14 – Centro – Santo André.

Inscrição pelo fone 4438-6151 ou pelo e-mail: escoladasaude@santo andré.sp.gov.br

kilombagem

A missão do Grupo Kilombagem é a apropriação, produção e difusão de conhecimento a cerca da humanidade e suas principais contradições sociais.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>